quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Não faz mal...

“O amor é um elemento que, embora fisicamente invisível, é tão real quanto o ar, ou a água. Ele é uma força atuante, viva, de movimento...ele se move em ondas e correntes como as do oceano. “


(Prentice Mulford, Autor da Nova Era, 1834-1891)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Mommy

Mainha...

Hoje é aniversário de Mainha...


Terezinha de JesuíS, pessoa que me dá luíz, nos céus azuís...haha

Gente, agora sério,

Mãe, eu te amo, você sabe e zaz... te amo demais... te dei um celular bacanão, agora tenho créditos por um bom tempo, né? rs.

Mas fala baixinho, pro pai não ouvir, porque, sabe como é... esse lance de vocês dois aniversariarem com 1 semana de diferença, quebra qualquer orçamento filhistico. Né?!


Te amo, te amo...


Feliz aniversárioUS.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

I have a ... ?


Não sei nada da vida, e acho bonito não saber, só ir...

Mas uma coisa eu posso te dizer, não faça planos...
Você pode planejar aquele rodizio de pizza no final de semana com o boy, mas não planeje ficar milionária nem ter uma casa giganteeee...

Não planeje...


Tudo vai, SIMPLESMENTE, acontecer.

;D

Beijos, SUDADIS!

Amor, eu te amo.

Beijo pro meu pai, pra minha mãe, especialmente pra Dinda GREISYYYYY! HAHA

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Be happy.

24 anos de uma vida inteira....


Meu aniversário, hoje, 09/09.

Eu sou feliz comigo mesma, me amo, me respeito e me acho chique.


Um beijo.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

domingo, 17 de julho de 2011

Lie.

Hoje eu vim falar sobre a verdade.


Ninguém é cem por cento sincero o tempo todo. I´m sorry para os que juram ser. 


- Oi, bom dia, tudo bem?
- Oi, tudo ótimo e você?
- Opa! Maravilha.


MENTIRA.


Nunca tá tudo bem.


Você tem conta pra pagar, tem uma unha encravada, a raiz do seu cabelo grita, seu salário é medíocre; enfim,  tudo tá sempre desajeitado e a gente vai ajeitando. 
É implícito no caráter humano, desprezar aqueles que se sentem desprezíveis.   
Auto piedade é pessssimaaaa, e as pessoas vão se afastar de você, á medida que começar a reclamar da vida. Sendo assim, você se obriga a mentir. Isso mesmo, mentir descaradamente. 
Porque olha que legal seria, se quando te perguntassem se tudo está bem, você discorresse sobre a sua vida xexelenta. 
- Oi, tudo bem?
- Olha menina, pra dizer a verdade, não tá, não, viu?
Tá uma bosta vezes 2. Tô gorda, precisando cortar o cabelo e lixar o meu calo do dedão. Meu filho repetiu de ano e meu chefe parece o Hitler. 


Não é bem mais fácil mentir?


- Oi, tudo bem?
- Sim.
Cada um vira pro seu rumo e go life.


Saber dos problemas dos outros é um saco, entristece e você carrega um fardo desnecessário. 

terça-feira, 12 de julho de 2011

Agora!

A sensatez, a coerência e o discernimento, não fazem sentido algum.

Existem leis na vida, fases e vez. Pra tudo.

E essa é a minha vez.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Next...


Next time I'll be braver
I'll be my own savior
When the thunder calls for me
Next time I'll be braver
I'll be my own savior
Standing on my own two feet

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Reveillon 2010

Achei esse vídeo que a Carol fez pro ano novo e resolvi postar.
Vocês vão entender, porque eu digo que tenho a melhor família do mundo.
Essa não é só a minha opinião.

Beijo. Boa semana.

Questões - Parte 2/20

E aí, prontos pra segunda questionnneee?  Quem quiser comentar todas em um post só, fica a vontade. Quem não quiser comentar em nenhum, também fica.. HAHA
Simbuêra! Ps: Adoro falar espanhol. Mi casa, su casa. Mi espanhole, tu espanhole. Tá, parei.


A pergunta é: Preciso mesmo de um homem para chamar de meu? 


Sabe abigã, acho que precisa não, né?  Assim, se a pergunta fosse: - Preciso mesmo de um pote de sorvete de flocos com farofa e calda de caramelo para chamar de meu?
A reposta seria: - SIM, PELOAMORDEDEUS. 


Mas homem é um lance totalmente substituível...


Tá, agora falando sério. Acho que nada que é imposto, rola legal, né? Tem que ser sutil, no minimo. Radicalizar também não dá, viu abigãs?! 
A solidão é assustadora, ter alguém pra te apoiar, te cuidar e fazer um dengo, faz bem. 
Eu tô apaixonada, e o baby é dos "dimenor". HAHAHAHAHAH. 
Mas tô super afim que seja eterno. Bem assim, romantico...Sabe? 


Paixão é importante, fundamental, aliás. 
Posso até dizer que, depois que me apaixonei, o modo de ler as perguntas mudaram. Consequentemente, as resposta de algumas, também. Depois eu conto mais desse meu relacionamento promissor. 


Eu os amo. Torçam por mim, depois eu conto o porque. Aliás, só pelo "dimenor", vocês imaginam a barra, né? 


Fui.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

A minha maravilhosa infância.

Eu tive uma infância mágica. Mágica mesmo. 
Sempre estudei em colégio publico e isso nunca foi problema.
Afinal, a cantina da Dona Ivone era a melhor do mundo. O nosso uniforme não era cheio de frufrus e nem nossas salas tinham ar condicionado. 

Os professores eram extensão da nossa família e a escola, da nossa casa. Nunca fui a aluna mais aplicada da turma, minha mãe vai dizer isso quando ler. Nem nunca amei acordar cedo. Mas depois de entrar pelo portão e cumprimentar o porteiro, o mundo se transformava. Eu amava a escola, os meus professores e meus amigos.


Em casa não era diferente. Sempre tivemos muitos cães, muitos. Toda a família sempre gostou muito de bichos.
Tivemos um veado, araras azuis e amarelas, gatos, periquitos, papagaios, tartarugas e outros pássaros. 
Eu fazia comidinha nas minhas panelinhas e roupas pros meus cachorros. Punha eles na cestinha da bicicleta e andava pela rua...
Passava bastante tempo também, na companhia do meu pai, dos meus primos, da minha mãe... Sempre ia com a família toda, pra todo lugar. Só fomos nos apartar, agora... há poucos anos. 


Fui uma criança feliz. Eu tive bicho de pé e piolho. Eu comi terra e rabisquei a parede da minha casa.
Brinquei com massinha de modelar, tomei banho no tanque, cortei minha franja sozinha, ralei meu joelho mil vezes. Fiz pirraça pra não tomar banho, já quis fugir de casa porque achava que era o pior lugar do mundo. Pensava que, só porque o meu material escolar não era o melhor, minha família também não era.


Graças a Deus, hoje vejo que absolutamente nada disso importa ou importará. 
Dinheiro, definitivamente não traz felicidade. Eu e minha irmã, fomos educadas da forma que meus pais achavam que era certo.
E acredito que funcionou. Eu gosto do seres humanos que nos tornamos. Mesmo.



Meu niver e a Paula lá no fundo.






eu.








Maysa, Lucas, Eu, Guigo, Rogério, Patricia Hellen, Daniele, Criscela, Junão e Jany

Um beijo, eu os amo.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Questões - Parte 1/20

Recebi de uma amiga-cliente-amiga, recortes de revista. Ela me pediu que só lesse quando pudesse parar, refletir e sorver o máximo de informações possíveis. Assim o fiz. Peguei o envelope e vim pra casa, não me aguentava de curiosidade em saber o porque, dela se dar ao trabalho de furtar páginas da revista de um consultório médico, e me dar. Enfim, eu li. 


Trata-se de 4 páginas da revista Cláudia, com uma reportagem intitulada: Ame sua vida.


O enunciado diz assim: 


É preciso uma dose de coragem para sentar num cantinho reservado em casa e, com esta revista nas mãos, buscar as repostas para as questões desta e das próximas páginas: elas mexem com inseguranças, medos, dúvidas e dores de todas nós. Mas prometem um tesouro de recompensas a quem ousar enfrentar seus demônios. É ao derrotá-los que se revela a mulher sábia e confiante que mora dentro de você - e por estar simplesmente esperando um sinal para desabrochar de vez. Por Melissa Diniz e Marcia Kedouk. 


Ok, ok, eu senti medo quando li. Normal. Afinal, o enunciado já tocou o terror no meu cérebro, que implorou para que não trata-se de mais uma tentativa de me dizer que devo perdoar os que me magoaram e seguir a minha vida Zen, na unção de Buda. HAHA. Mas é maomeno por aí. 


São 20 perguntas, dos mais diversos assuntos. Mas todas, de cunho pessoal e, que realmente mexem com tudo. Não fez muita diferença, né? rs.


Para não ficar massante e estressar "tus" e eu, resolvi compartilhar essa experiência com vocês moderadamente.
Farei o seguinte, 1 pergunta por vez e comentaremos juntos, ok? Tá tranquilo?



A primeira pergunta é: Tenho de ser mãe?


Ter, é sinônimo de obrigação, consequentemente, acho que não TEMOS de fazer nada que não queremos. Ser mãe implica tempo, responsabilidades, abdicações e uma série de outras coisas que nem dá pra enumerar.
Foi-se o tempo, em que ser totalmente realizada, só rolava se fossemos mães. Hoje em dia outras coisas suprem essa necessidade.
Na verdade, o termo não é "necessidade", porque se há necessidade, há falta de algo. Consequentemente, se falta, traz infelicidade. Dá pra acompanhar? 

O termo certo seria "escolha". Nesse século, muitas coisas que éramos obrigados a fazer no passado, agora podemos escolher...Casadas ou não, engravidar, é uma delas. 


Amanhã tem mais, eu acho. HAHA.




Beijo, beijo.



quinta-feira, 2 de junho de 2011

Egypt

Conheci, há uns 3 dias pelo facebook, um rapaz do Cairo. 
O nome dele é Amr Mohamed acho que lá, Mohamed é igual Silva aqui no BR, tem 26 anos e trabalha numa espécie de VIVO das Arábias, a VODAFONE. 


Estamos nos comunicando quase que diariamente. Começamos a nos falar pelo chatzinho que tem no face e depois nos adicionamos no msn. 


Ele tem um inglês perfeito, com pronomes corretos, frases limpas, até me corrige. Acho chique. HAHA.
Me ensinou que lá, habibi, significa meu amor para homens e que habibti é meu amor para mulheres.
É como chamamos as pessoas aqui de "querido", mas de uma forma bem mais intima. 


Me contou que lá no Egito, as pessoas não podem se beijar na rua. Isso eu já sabia, mas ele falando, parece bem mais sério. 
No facebook dele, tem umas fotos engraçadas do noivado do irmão. A noiva com um vestido vermelho bem bonito, mas que eu não usaria. A maquiagem, as jóias... Tudo parece mais real, quando você conversa com uma pessoa de lá.


A naturalidade com que ele trata as pirâmides chega a ser engraçada. 
A arquitetura da casa dele, é simplesmente linda. Sem palavras.


Ele me ensinou um bocado de palavras em Árabe, mas com escrita de lá, sabe? Aquela que escreve de trás para frente. Supeeeeeeeeeeeeer fácil. HAHA.


Assim é Amor:  الحب
E eu te amo é assim: أحبك


Eu o ensinei que, aqui no Brasil, basta colocar um "O" no meio do nome dele, que se transforma em AMOR.
Amr: Your name

Amor: Love in Brazil.
Ele achou uma graça. 


Mandei vídeos da Ivete Sangalo pra ele ver, e logo disse.


Olha, ela dança e com as pernas de fora... HAHA.


Me mandou vídeos de uma cantora famoséééérrima lá, chamada Dalila. 
São músicas estilo o clone mesmo, mas com uma pegada dance, bem engraçada.


Eu perguntei se ele sabia dançar e ele disse que lá é quase um pecado não dançar.
Perguntei sobre os conflitos na Libia, mas ele não quis falar muito. Acho que deve ser um assunto delicado para eles. 


A internet é linda, quando se fala em viver sem fronteiras. Jamais pensei em conhecer alguém de tão longe. 


Quando abri a webcam, para que ele pudesse me ver, elogiou o meu cabelo. 


HAHAHAHAHAHA 


Apropriado, já que lá eles não veem os cabelos das moças, né?


Beijo pessoal, fui.


وداعا  = Adeus ou tchau. :D

domingo, 29 de maio de 2011

Você abre os braços pra mim, e a gente faz um País.

Só queria dizer que, dia após dia, eu fico mais e mais apaixonada pela Sofia.
Ela é tão cheia de personalidade, tão determinada, linda...e com Maria Chiquinhas no cabelo, olhos azuis, fica ainda mais charmosa.

Tá, eu sei, ela só tem 1 ano e meio... Mas mesmo assim, é um prodígio.

Fico perdida de amores, quando ela vem andando, rapidinho, meio cambaleando e abre os braços.
Tudo bem, eu sei que ela abre os braços pra todo mundo, porque é super simpática...

Mas pra mim, é um mar de amor...

Não vejo minha vida sem ela, aliás, sem eles todos..

Lennon, Julia, Eduardo, Guilherme André, Fernando, Isabella, Yasmin, Italo, Patricia, Angélica, Ana Carolina, Victor Hugo, Rogério, Rodrigo, Lucas, Gabriel, Eduarda, Pablo, Stéfani, Cauã e agora, a Emilly.

São todos muitíssimo importantes pra mim. Meus primos, de primeiro e segundo grau, minha família.

Eu os amo.


Vô Antônio, pai de meu pai, com Eduarda e Gabriel. E uma tartaruga. haha.

Eduarda, linda, até pescando.

Gabriel dançando, super elegante.

Eu e Eduardo. Brasileiríssimos. 

Família - Albino de Souza. Lindos que eu amo.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Lua de Cristal on the floor. AGAIN!

Phi-Phi, um dia eu conto tudo sobre o porque dessa foto... 
As pessoas ficam querendo que você se prove o tempo todo.
Tipo. "se você sabe tanto fazer tal coisa, porque ainda tá na merda?". 



E parece que tudo junta, aí eles entraram numa de ficar te trolando, all at once , te cutucando, te chateando...


Aí né, pra espantar a zica e o meu humor, eu resolvi fazer do blog, o meu divã.
Suppper desabafei casamigã. Aí, né, minha mãe foi lá, e ó, PEI. Cortou o barato.
Me ligou ás 7 e bolas da manhã, me pedindo obrigandotorturandocoagindo pra deletar o post desabafo, sobre os lances, lá. Sabe? 



Censura e tudo. Mas eu vou relevar, porque você é minha mãe, tá?

Pois é, se você leu, leu, se não, não vai ler mais...  


Tá, passado o babado, confusão e gritaria do post familiardesabafônico do mês.
Eu fui viver.



Dia desses, conversa vai, conversa vem cas amigãs do trabalho, me perguntaram:


- Ana, você tem habilitação? 
- Sim, tenho.
- Carro e moto?
- Sim, A e B.
- Passou na primeira em tudo?
Não podia deixar passar em branco que, não li bulhufas do livrinho, não frequentei uma aula sequer teórica,  e passei no teste. HAHA. Fui lá e ó, PEI. Se liga.
- Passei, não li nada, não fui em nenhuma aula teórica e passei. 
Todo mundo olhou pra mim com a maior cara de desprezo, me senti o Osama, juro. 
Gargalhadas sem fim. E eu, super confusa.
- Quequeé? Não se passa em primeiro em nada, aqui em Maringá? Assim, só pra eu entender.
Aí, né? Viram a minha indignação de gente Brasileira que fala a verdade, e me pouparam do trabalho de argumentar mais.
Só que eu saquei um arzinho de "Ah, tá se achando". Anyway.


Só pra constar gente, os testes em Rondônia não tem absolutamente nada a ver com os testes daqui, assim, só a titulo de curiosidade. 


Dica: Quem for fazer o psicotécnico em RO. NÃO ESQUEÇA DE DESENHAR CHÃO, QUANDO A PSICO PEDIR PRA DESENHAR UMA CASINHA, OKAY? TÁ TRAQUILO? CASA NÃO VOA, NÉ GENTEM? RS. 


Continuando..


Detalhe que né, minha mãe sempre me dá conselhos valorosos de como ser uma garota suportável e querida pela sociedade, do tipo. 


- Não precisa dar a sua opinião pra tudo, Ana Paula. 


Absorvendo, eu fui ser feliz, again...


Me peguei, sentada numa cadeira do salão, com uma revista Época nas mãos, e iCarly passando na TvGlobinho. Parei, olhei em volta e pensei.


Ei, espera aí, sua danadinha. Olha só pra esse lugar. 
Desde que você entrou, muitas coisas mudaram.




Mas não importa o que você faça, para um CNPJ você será sempre, só um número. 


Seja eficaz o quanto for, um dia a casa caí. 


Ninguém gosta de ser contestado, nem de estar errado, ou que digam que estão e expressem suas opiniões. 
E as pessoas dão carteirada a torto e a direito, sem o menor constrangimento, para confrontar os teus argumentos. 
Por "N" vezes, você ainda vai ouvir: - Mas eu mando aqui, sou o patrão/dono ou qualquer merda.


Qual a graça de ser um humano e não poder ter opiniões, argumentos e não poder ser inteligente? Se perdem os motivos no meio do caminho, toda vez que, por alguma razão, você tiver de se calar, só porque alguém ocupa um cargo maior que o teu na hierarquia e não quer ouvir o que você tem a dizer naquela hora.




Observe, eu não estou falando de discussões de trabalho, estou falando por exemplo, de um dia em que a pauta era: Porque gastar milhões de reais num festival de rock como o Rock In Rio, se existem outras prioridades? 


Eu, idiota, fui lá e dei o simples exemplo. 


Gente, é grana da iniciativa privada, é um festival todo patrocinado.
É como eu querer comprar um celular com o meu dinheiro e vocês quererem proibir. 


Acho que lá, ninguém sabe o que é iniciativa privada... Sério.
Ficou um climão do tipo: A Ana não pensa nas criancinhas, nos velhos e nos sem teto. 



Ledo engano sweetie, ninguém pensa mais do que eu. 
Ninguém me disse que seria fácil, tampouco tem manual. E eu vou fazendo como dá.


Hoje vi um vídeo da Xuxa num abrigo de animais, ela me mandou super good vibrations blues e entrei numa vibe bem Lua De Cristal, sabe? 


"...tudo o que eu quiser, o Cara lá de cima vai me dar, me da toda a coragem que puder, e não me falte forças pra lutar."


Ai entram as paquitas: "...Vamos com você, nós somos invencíveis, pode crê, todos somos um e juntos não existe mal nenhum..." 


Super me emocionei, acreditei na vida, again


E tamo aê.

















segunda-feira, 23 de maio de 2011

A vida é dura, só pra quem é mole....

Não existe coisa que me irrita mais,  do que gente mole.

Gente que fala pra baixo, fala mole, não olha nos olhos, reclama de tudo.

Gosto de gente que verbaliza firme, que conversa, argumenta, persuade.

Gente pra cima, perseverante, alto astral, que ri, dá bom dia, que questiona...

Gente mole é Uó. Não gosto, não gosto e não gosto. FIM!


sexta-feira, 20 de maio de 2011

Especialmente para você, Pai.



Balada Para Um Louco
(viva Os Loucos Que Inventaram o Amor)


Num dia desses ou, numa noite dessas
você sai pela sua rua ou, pela sua cidade ou,
ou, sei lá, pela sua vida, quando de repente,
por detrás de uma árvore, apareço eu!!!

Mescla rara de penúltimo mendigo
e primeiro astronauta a pôr os pés em vênus.
Meia melancia na cabeça, uma grossa meia sola em cada pé,
as flôres da camisa desenhadas na própria pele
e uma bandeirinha de táxi livre em cada mão.

Ah! ah! ah! Você ri... você ri porquê só agora você me viu.
Mas eu flerto com os manequins,
o semáforo da esquina me abre três luzes celestes.
E as rosas da florista estão apaixonadas por mim, juro,
vem, vem, vamos passear.

 E assim meio dançando, quase voando eu
te ofereço uma bandeirinha e te digo:
Já sei que já não sou, passei, passou.
A lua nos espera nessa rua é só tentar.

E um coro de astronautas, de anjos e crianças
bailando ao meu redor, te chama:
vem voar.

Já sei que já não sou, passei, passou.
Eu venho das calçadas que o tempo não guardou.
E vendo-te tão triste, te pergunto: O que te falta?
...talvez chegar ao sol, pois eu te levarei.

Ah! Ah! Ah! Ah!
Louco, louco, louco! Foi o que me disseram
quando disse que te amei.
Mas naveguei as águas puras dos teus olhos
e com versos tão antigos, eu quebrei teu coração.

Ah! Ah! Ah! Ah!
Louco, louco, louco, louco, louco! Como um acróbata demente saltarei
dentro do abismo do teu beijo até sentir
que enlouqueçi teu coração, e de tão livre, chorarei.

Vem voar comigo querida minha,
entra na minha ilusão super-esporte,
vamos correr pelos telhados com uma andorinha no motor.

Ah! Ah! Ah!
Do Vietnã nos aplaudem: Viva! viva os loucos que inventaram o amor!
E um anjo, o soldado e uma criança repetem a ciranda
que eu já esqueci...
Vem, eu te ofereço a multidão, rostos brilhando, sorrisos brincando.

Que sou eu? sei lá, um... um tonto, um santo, ou um canto a meia voz.
Já sei que já não sou, nem sei quem sou.
Abraça essa ternura de louco que há em mim.
Derrete com teu beijo a pena de viver.

Angústias, nunca mais!!! Voar, enfim, voaaaarrr!!!
Ama-me como eu sou, passei, passou.
Sepulta os teus amores vamos fugir, buscar,
numa corrida louca o instante que passou,
em busca do que foi, voar, enfim, voaaaarrr!!!

Ah! Ah! Ah! Ah!...
Viva! viva os loucos!!! Viva! viva os loucos que inventaram o amor!
Viva! viva! viva!


Um dos compositores preferidos do meu pai, que outro dia me mandou uma playlist fantástica. Andei lendo mais a respeito de Moacyr Franco, e vale a pena conferir. Coloquei essa canção, porque é a que mais me emociona. Mas gosto da interpretação dele para 120, 130, 200 por hora, do Roberto e Erasmo. É linda, maravilhosa, também.Espero que gostem, amo você pai.


terça-feira, 17 de maio de 2011

Um presente.

Que sejam eles, os meus amigos, os lapidadores do meu caráter. Os apontadores dos meus erros, os que cometi imperceptívelmente. 

Então assim -
Entrego a vocês, caros amigos, formões. Para que, dia após dia, nessa vida que por ora não se finda, possam gentilmente me entalhar.
Quantas vezes por preciso, passível e possível, porque não?

Peço que não tentem colar as lascas que, por ventura se partirem...

Elas servem para lembrar que, por mais nobre que seja a madeira, ela pode se enfeiar.
Num corte mal tratado, num tombo desajeitado ou na mudança de um lar...

Não precisam me polir. Não sou das mais educadas, não fui nunca e não serei, jamais.

Peças lisas escorregam nas mãos do vento, não assossegam nas prateleiras e eu também não gosto, não.

Nos meus olhos pintem olheiras, pois as trago de antemão.

Quero ser suvenir de quem tem saudade, com escrita bem bonita: Lembrei de você.

Cabe a vocês, amigos queridos. Que me saia um bom presente.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Bee

Quero saber mais sobre Ludwig van Beethoven.

Ontem peguei o filme dele pela metade no Telecine.

Não sabia que ele era surdo, preciso descobrir mais coisas...

Preciso...


sábado, 7 de maio de 2011

Fotinhos para passar o tempo e enganar o freguês.

Esmalte da Semana: Psico - Risqué by Isabelli Fontana.

Cabelo velho, porém, escovado. HAHA

Cadê?

Amores, perdão pela ausência, minha culpa, minha máxima culpa.
Acontece que, minha agenda anda lotada, eu chego um caco, brinco um pouco com o Nino e caio na cama.
O frio me perturba como já comentei aqui, e me deixa mais preguiçosa e sem inspiração do que qualquer coisa.

Hoje especificamente, minha avó Elvira, láá de Rondônia, veio jantar aqui em casa. Cheguei do trabalho pouco depois das 20:00h.

Minha mãe preparou nhoque e pudimmmmmmmm. Nhame Nhame...
Nos despedimos rapidinho da vó, porque ela ia aproveitar a carona (busão) que o Victor e a Cáu iam pegar.

Ela foi pra casa da prima dela e os dois para a Expoingá, que começou ontem com show do Exaltassamba.
E hoje eles foram ver Luan Santana.

Tô tomando porre do notebuque da ermana legal, que nunca me deixa usar. HAHA

Depois que ela ler, já foi. Hihihi.

Cliquei váários momentos dessa semana, com a câmera do celular. Meu cabelo novo, meus esmaltes, o Nino dormindo... enfim, vááárias coisas legais.

Prometo que, se o bofeeenho escândalo não me ligar para um programennhhha maroto de fim de semana, eu sento na frente desse bentido pc, e mando bala. Okay? Tá tranquilo ?


Amo vocês, tô megaaaa cansada e sem sono.
Aí amanhã, eu acordo atrasada ,chego no salão e a cliente tá com AQUELA cara de FELIZ, sabe?
Igualzinho ao Seu Barriga, quando vai cobrar o aluguel do Seu Madruga. BEM ISSO.


Vou dormir. VENGENTCH.


FUiz.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Frrrrrrioo

People, meu cérebro congelou!!! Socorro! Não consigo escrever nesse frio.

Alguém me empresta uma lareira? É rapidão, só até setembro, que é quando essa nhaca de inverno termina.

Tem tanta coisa semi pronta pra postar, mas ainda falta aquele "tcham" pra ficar bacanudo de verdade.

Só uma prévia.

Tem post sobre esmalte, tem um conto que eu escrevi no meu Moleskine super luxo, post sobre a preparação para minhas férias, e o que farei por lá.

Enfim, "N" coisas que não consigo terminar. Mas prometo.


Ah, já ia esquecendo, tem um post baphôoooo, sobre gordo. Aiii que pesadelo. Me salva Jeová.


Vou dormir, não sinto os dedos do meu pé esquerdo, meu cabelo tá gelado, minhas mãos estão prestes a virar um Tablito.

Tem jeito não, sou bicho do sertão, que gosta de calorão.


Beijo, amo ceis tudo aí.

domingo, 1 de maio de 2011

Ah! O amor...





"Quem nunca sofreu por amor nunca aprenderá a amar. Amar é o terror de perder o outro, é o medo do silêncio e do quarto deserto, de tudo o que se pensa sem poder falar, do que se murmura a sós sem ter a quem dizer em voz alta. É preciso sentir esse terror para saber o que é amar. E, quando tudo enfim desaba, quando o outro partiu e deixou atrás de si o silêncio e o quarto deserto, por entre os escombros e a humilhação de uma felicidade desfeita, resta o orgulho de saber que se amou."

Rio das Flores de Miguel Sousa Tavares

sábado, 23 de abril de 2011

Já?

Você já ficou triste, ao invés de ficar p.da vida com alguém?

Se sim, você amadureceu.




terça-feira, 19 de abril de 2011

Gordo, é o novo preto. Por Léo Jaime.


Esse texto foi escrito por Léo Jaime, o gordinho mais sexy e massa do Brasil. 

Vale a pena ler. 

Quando Felipe França aqui desembarcou com 3 medalhas, uma de ouro e duas de bronze,  vindo do último campeonato mundial de piscinas curtas, o que se comentava era seu peso. Com 100 KG e 14% de percentual de gordura ele era mais do que um grande atleta:  era a prova de que condicionamento e forma física não são necessariamente a mesma coisa.

Tenho os mesmos 14% de percentual de gordura. Ao longo dos anos fui aumentando de peso sem aumentar o percentual. A barriga cresce e é lá que guardo a perigosa gordura visceral. Estou sempre lidando com esta questão médica, e chata, mas tenho me mantido em forma e aumentado o peso magro, ou seja, adquirido músculos com muito exercício. Portanto, posso dizer que estou bem condicionado. Dito isto, vamos ao real incômodo da minha condição. Chega de me justificar. Detesto fazer isto.

Ao longo dos anos ouvi, e ainda ouço, inúmeros “nãos” profissionais com a justificativa de que minha aparência não é boa, preciso perder peso, pareço decadente etc. Passei 18 anos sem gravar um CD com minhas composições, e percebi que ninguém se interessava em sequer ouvir as novas canções. Embora eu já tivesse emplacado várias no nosso cancioneiro, parecia que estava claro para todo mundo que a minha barriga tinha substituído o meu talento.  Curiosamente o público nunca acreditou nisso e continuou a me tratar com carinho. Durante este tempo todo! Coleciono mais sucessos que fracassos  em tudo o que fiz no teatro, shows, TV, rádio ou em textos publicados na imprensa ou divulgados na internet. Considero ter conseguido vencer a resistência, mas não posso negar que ela exista e é muito forte. “Nadando contra a corrente, só pra exercitar”...

Voltando ao início: se um atleta pode ser medalha de ouro estando “acima do peso” seria correto dizer que existe um “peso” ideal? Nas olimpíadas os atletas têm os mais variados tipos físicos e, sim, alguns são “gordos”. Mas vamos olhar por outro ângulo.

Quando a adolescente lourinha matou os pais a pauladas em São Paulo, o comentário mais ouvido era “Como foi que uma moça tão bonita fez uma coisa dessas?” Como se gente bonita não matasse ninguém. Claro, os comerciais de TV só mostram rostos perfeitos, e todo mundo entende que são pessoas perfeitas. Será? Quando vi pela TV os bandidos fugindo da Vila Cruzeiro para o Complexo do Alemão não me lembro de ter visto um bando de gordinhos. Eram até bem atléticos e “magros”.

O título deste artigo se refere a um movimento americano, “Fat is the new black”. Repare que a tradução não é “o novo negro” mas sim “o novo preto”. É uma expressão do mundo da moda: o novo preto é aquilo que parece ser a óbvia boa escolha; o que não tem erro: o pretinho básico. Ainda que seja óbvia a sugestão de que gordos são, para muitos, “the nigger of the world”, o que o tal manifesto combate ferozmente.   

A maior parte da população do mundo está acima do “peso”, se é que existe um “peso”, e todos vamos ter que nos adaptar a esta realidade. Todos são ou vão ser gordos, ou gostar de um gordo, ou admirar um gordo, ou ter prazer com um, seja em que nível for. Conviva com esta ideia, amigo ou amiga. Não são os bonitos os que vão lhe dar prazer mas aqueles que querem lhe dar prazer e vão se esforçar para que você se dê conta disto. E, acredite, portadores de deficiências, magrinhos, carecas, altos, baixos, estão todos no páreo. O desejo transcende a forma. Beleza é uma coisa, gostosura é outra.

Neste manifesto (fat is the new black) americano há uma série de perguntas do tipo: você diria a alguém “Olha, você até tem um rostinho bonito, só precisa engordar uns quilinhos. E você sabe muito bem como, não é? É só ter um pouco de vergonha na cara”? Não diria. Por que, então, dizer o contrário parece razoável? E nem chamaria o Keith Richards ou a Amy Winehouse de decadentes porque eles andam muito magros.  Talento, voz, criatividade, profissionalismo, nada disso tem a ver com peso ou aparência física. Será difícil entender isto?

Há um grande, um enorme preconceito. Este sim está muito acima do peso. E parece que o preconceituoso professa sua maledicência com a generosidade dos santos: é para o seu bem! Uma ova! O preconceito contra os gordos é o único tolerado hoje em dia. Ou contra os feios, vá lá! Está claro que, ao contrário do que a arte, através dos séculos estabeleceu,  a partir de 1968 (com Twiggy) ser magricela é que é o tal. As formas arredondadas foram para o brejo depois de 25 vigorosos e rotundos milênios alimentando desejos e fantasias da alma humana.

Elvis é um dos meus heróis e eu prefiro sua fase mais madura. Quando diziam que ele estava decadente, embora cantasse como nunca. Um dia desses uma criança mal-educada quis ensinar ao meu filho que as pessoas ou eram magras ou eram gordas, e as magras eram melhores. Ainda bem que ele esqueceu em um segundo. Quando meu filho olha para mim vê o que eu sou para ele. Quando meu público olha para mim, acontece a mesma coisa. E o resto? O resto que vá para o inferno.

Eu digo que pra mim existem dois tipos de mulher: as que gostam de mim e as outras. E juro que as que gostam de mim são muito mais interessantes. Mulheres, parem com essa obsessão de perder dois quilos! Homens gostam de mulheres companheiras, bem humoradas e boas de cama. Homens, atenção!  Quem repara demais na celulite das moças acaba preferindo bunda de rapaz. Não que eu tenha algo contra isto.  Cada um que descubra o que lhe apraz.

Brincadeiras à parte, deixe-me concluir. Não é preciso aceitar, mas tolerar. Eu é que não sei se tenho estômago para tolerar esse preconceito. Por exemplo: ver o Ronaldo Fenômeno chorar ao despedir-se cortou-me o coração. Seu corpo não o venceu, o preconceito sim.  Aturar anos de humilhação é duro até para os heróis.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Mudança

Boa tarde, queridos. Já estamos morando na casa nova que, por enquanto ainda não tem internet.

Estou postando do salão, do computador do Fer.

Espero poder voltar em breve.

Um beijo, eu os amo.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Mudança..

Hoje quando cheguei em casa, minhas coisas já estavam, quase todas, nas caixas.

Sábado nos mudamos para outra casa. Aqui mesmo, na rua. Duas quadras para cima.


Novos ares, tudo vai melhorar.


;D

quarta-feira, 23 de março de 2011

Questões.

Eu queria tanto perguntar algumas coisas, para algumas pessoas.


Só pra contextualizar, na verdade...

terça-feira, 22 de março de 2011

Mommy.

Minha mãe disse que, qualquer hora vem aqui, para me desmascarar.


UAHUSHUAHSUAHSUAHSUASHUASHUASHUASHA


Ela é muito gracinha, né? 

Segundo ela, não sou nada do que eu 'pinto' aqui.

Isso é tudo mercham.... haha.

Para de close mãe, eu te amo, pô.


sexta-feira, 18 de março de 2011

Morro e não vejo tudo.

Vou contar uma coisa pra vocês, depois me digam se sou eu a "pitizenta" ou se acham que eu tinha razão.


Outro dia, na hora do almoço, fomos á um restaurante perto do trabalho. O "Baji Bali".
Minha amiga queria comprar uma marmita de salada e eu, uma com o meu almoço completo.


Os preços eram: 
R$5,50. a marmita mini
R$6,50. a marmita média.
R$7,50. a marmita grande.


R$8,00 para comer a vontade.


Pedi para a moça, que me desse uma embalagem mini, para que eu mesma montasse a minha marmita.
Coloquei tudo o que eu queria e quando dei pra ela fechar, veio a surpresa.


"Perai, o Seu coisinha* tem que ver".


Tipo, como assim. VER? 


Ver, ele tem que ver o que tem dentro.


E, eu repeti: Como assim VER O QUE TEM DENTRO? TEM COMIDA. Oras!


Não, é porque ele tem que dar o preço, dependendo do que você colocou dentro.


Hããããããããããã? 


A essa altura, eu já tinha perdido a paciência, mas imaginei que pior não poderia ficar.
Até, queeeee? Me sai um tiozinho, o tal Seu coisinha,  lááááá de dentro da cozinha, com um guardanapo no ombro, um bigode nojento, pegou um garfo e simplesmente, começou a fuçar na minha comida. 


Isso mesmo, fuçou em tudo. 


Eu tinha colocado dois filés de frango, ele espetou os dois e olhou para confirmar se eu não havia "escondido" nada embaixo. 


Não acreditei no que eu tava vendo.


Ele gritou: "7 real". 


Eu soltei uma belaaa de uma gargalhada e disse, "Vá se ferrar".


Deixei tudo lá e fui embora.


Acompanhem comigo. Se custa 8 reais para comer a vontade, repetir, repetir e repetir. Qual era o problema de eu mesma fazer a minha marmita? Será que é um lance com os gordos? Tipo, "olha, ela é gorda, fica de butuca para ver se ela não vai colocar muita comida."


Ou é uma coisa tipo, "cuidados com a saúde?"  Não podemos colocar só uma coisa, tem que ser balanceado.


HAHAHAHA


Tô até agora sem entender o raciocínio ilógico do Tiozinho. 
Só sei que, ando 4 quadras, mas não vou mais lá. 


Foi constrangedor, sabe-se lá onde ele meteu aquele garfo antes de colocar na minha comida.
Eu pagaria até 20 reais na marmita, mas ele não precisava fuçar.
Bastava colocar um cartaz, dizendo que, caso você mesmo quisesse montar a sua marmita, o preço seria maior. Pronto. Não precisava perder o precioso tempo dele, fuçando na marmita do alheio.


É cada uma, viu?




E aí, eu sou pitizenta ou tô certa?


Beijo, amo vocês.

Casar? Nããããão!

Já comentei aqui, que no meu trabalho, sou uma espécie de analista grátis. 


Faça as unhas e ganhe um ouvido pronto para escutar as tuas lamúrias. 
Pois então. Hoje, fazendo um resumo rápido das coisas que ouço, percebi que 75% sofrem com os casamentos. 
Sofrem mesmo. E contam, contam tudo. 


E eu sempre faço a mesma pergunta, porque ainda estão juntos?  e as respostas são as mais absurdas possíveis. 


Tipo: Ah, meu marido e eu rachamos as despesas, só não o mando embora, porque não quero pagar o aluguel sozinha. 


Eu sou feia, ninguém vai me querer assim, e com dois filhos. Prefiro aguentar.


Vou só me formar  na faculdade e termino esse casamento. 


É tão ruim adiar um aniversário por causa da chuva, um jantar por causa do trabalho. A compra de alguma coisa que você queria, porque surgiu, de ultima hora, uma outra despesa.


Então porque seria bom adiar a felicidade??


É complexo pra mim, sinceramente, não entendo.


Qual é o lance de se prender a alguém que não se ama mais, que te judia ou simplesmente te ignora? 
Compreendam a minha indignação, ouço coisas que não posso postar aqui. 
Primeiro para protegê-las, segundo, minha mãe me mataria. UAHSUHASUHASUHASUH


Esse tipo de coisa me faz rever os meus conceitos sobre formar uma familia. 
Clarrrrrrro que, não são todos os casos, mas mesmo assim.