terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Promessas para 2011. Parte I

Hoje parei pra pensar, não há nada que me faça comprar uma Coca Zero.
Já estive em situações extremas e, mesmo assim, não comprei nada.
Preferi  ficar com sede, ou “pseudosede” porque o lance com a Coca é quase uma dependência química. Talvez haja até, um CCA – Cocolátras Anonimos por aí, e eu nem saiba.

Quando eu morava em Rondônia (um salve pros manos) não tinha esse habito. Aliás, tinha, mas era pouco. Talvez estivesse numa época menos ociosa, com mais coisas pra fazer, menos ansiedade e coisas para se preocupar. 
Coca-Cola era um mero complemento do lanche. Refeição não! Lanche.
Na escola, na casa dos amigos, numa lanchonete, pizzaria ou qualquer outro lugar.  
Lá em casa, era permitido abrir um refrigerante só aos domingos e feriados. Mas nem sempre era Coca. 
Meu pai gosta de Fanta e Guaraná, então a maioria das vezes eram esses, os refris comprados.  
O meu caso com a Coca-cola, começou de fato, só aqui, em Maringá.
Primeiro preciso falar que, lá em RO, pelo menos na minha cidade, não tem aquelas máquinas de Coca Express, do copo sabe? Pois então. E eu gosto muitooooo daquela. 

Aqui, fora o Mc, Bobs, Burguer King, algumas outras lanchonetes também tem a Coca Express.
Isso facilita muito a minha vida. Sem contar o precinho né?

Só pra ajudar, a minha família também é Cocolátra. Principalmente o meu Tio Alexandre.  Quando ele chega, já pergunta: - Tem Coca nessa casa? Se não tiver, ele manda providenciar.

Aqui na frente tem o Bar do Clóvis. Coca gelada ALL TIME. É sempre ele,  quem nos salva desse calor fiadamãe.

Estou escrevendo porque decidi voltar como era. Coca, só aos finais de semana e ocasiões especiais. Ontem, quando minha mãe me pediu para que colocasse o lixo na rua, vi a quantidade de garrafas PET,  de Coca, que havia dentro do saco. 
Essa semana teve Coca todos os dias aqui em casa, na Tia Lucimar, no aniversário da Sofia, lá no salão e quando almocei no restaurante. 
Preciso beber água, suco de laranja que eu tanto gosto, maracujá também. Amo limonada, suco de melão, de abacaxi. Mas insisto na Coca.

Enfim, são metas estabelecidas por mim, para um 2011 mais saudável.
Talvez dê muito certo, talvez não. Mas, como otimista que sou, acredito que estarei no shape pra 2011.  E quem disser “aham Cláudia, senta lá” vai apanhar. Rs.

Tchauô!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Qualquer coisa, boa de ler...

Do livro Sidarta de Hermann Hesse.

"Quando alguém procura muito - explicou Sidarta - pode facilmente acontecer que seus olhos se concentrem exclusivamente no objeto procurado e que ele fique incapaz de achar o que quer que seja, tornando-se inacessível a tudo e a qualquer coisa porque sempre só pensa naquele objeto, e porque tem uma meta, que o obceca inteiramente. Procurar significa: ter uma meta. Mas achar significa: estar livre, abrir-se a tudo, não ter meta alguma. Pode ser que tu,ó Venerável, sejas realmente um buscador, já que, no afã de ter aproximares da tua meta, não enxergas certas coisas que se encontram bem perto dos teus olhos."
 
E mais:
"
a sabedoria não pode ser comunicada.
... Os conhecimentos podem ser transmitidos, mas nunca a sabedoria"

sábado, 22 de janeiro de 2011

Parabéns pra você...



Sofia engatinhando e cantando parabéns. Linda de viver.
Vale a pena assistir.

Beijocas

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Aniversário de Sofia.

Hoje Sofia completou 1 aninho, a festa estava linda, maravilhosa. Tudo ótimo
Vó Hilda caprichou nos salgadinhos, docinhos e no bolo, claro.
Tudo feito com tanto carinho, que dava pra sentir a cada mordida o quanto era especial essa festa.

Afinal, Sofia veio para nos alegrar, iluminar nossos caminhos e nos ensinar a sorrir por qualquer bobeirinha que ela balbucie ou quando faz 'raivinha'.

Sofia ganhou muitos presentes, entre eles, um especial. O ursinho de pelúcia do Tayorone, o Alce do desenho Backyardigans. Foi o presente mais maravilhoso que ela poderia pensar em ganhar.
O rosto dela se iluminou e ela mostrou os dentinhos num belo sorriso. 
Ficava fazendo sinal com a mão "me dá, me dá". Ficou o resto da festa com o Tayrone no colo.
 ~~~~~~
Bastidores.
 
Pouco antes da festa, fomos ao salão para os últimos ajustes na decoração, bebidas e afins.

Dentro do carro estavam: Eu, Tio Leca, Tia Fer, Carol e Sofia. 
No caminho, descobri uma brincadeira que o Eduardo inventou. Chama-se "fusquinha". 
Consiste em, basicamente identificar Fusquinhas na rua, apontá-los e falar: "fusquinha".
As regras são claras, todos os jogadores tem de ver o fusquinha, não vale dizer "fusquinha" e o resto não ter visto.

É muitoooooooooo massa. Hiper engraçado, porque todos ficam apreensivos em busca de um fusquinha. E, quando ele é visto, é uma gritaria geral. "eu falei primeiro, não, eu falei, não fui eu quem viu primeiro". Sensacional.

Tio Alexandre ganhou na ida, com 9 fusquinhas a 8. E o trio, Ana Carol, Ana Paula e Tia Fer, ganhou na volta com 9 fusquinhas a 6.

Teve uma hora que a Tia Fer viu em uma oficina, 4 fusquinhas de uma vez. 
E foi engraçado porque ela disse: - Fusquinha, fusquinha, olha o fusquinha, outro fusquinha ali. Olhou pro Tio com ar de superioridade e gritou. "Aráááááá, 7 a 3." Como quem diz: Penaaaaaaaaaaaaaaaaalti. 


Agora, toda vez que ver um fusquinha, mesmo que sozinha, vou falar. "fusquinhaaaa".

Prove você também. Garanto risos.

Vou postar fotos do aniver. Beijo, eu os amo.

Sofia, Papai, Mamãe e amiguinhos.

Ela ama cantar parabéns.

Papai.


Todos queriam apagar as velinhas também, ela não conseguiu,
cruzou os bracinhos e disse chorando: Não foi divertido.

 
Feliz.

Papai e Mamãe.

Sentadinha no banco, super comportada com o presente.

O futuro companheiro de muitaaaas aventuras. Tayrone. O Alce laranja dos Backyardigans.


Fat.

Opa, segura, fica durinha 3 segundos pra prima fotografar o modelito
Alta estação, verão 2011. Flores, tons leves e sapatilha. Super IN.


Eu AAAAMO esses denteeeees.


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Acidente.

Verdadeiramente sem inspiração para escrever.
Acho que minha cota de criatividade se esgotou. 
Então falarei sobre a minha bela segunda-feira. 

Nino e Eu acordamos tarde, 11:30. Enrolamos mais um cadinho na cama, ligamos a tv e decidimos comprar o almoço.Ruffles + Sonho de Valsa e Coca. Super saudável. :D-

Fui descer a escada ao mesmo tempo em que calçava o chinelo. Resultado?
Chuplááááááááááááááááfti. 

Caí que nem uma jaca madura, rolei 2 lances de escada e fui parar de cara na terra, com metade do corpo em cima do Nino. Fiquei quase 10 minutos imóvel, rachannnnndoooo o bico de mim mesma e da carinha de WTF?? do Nino.
Tudo bem, levantei, sacodi a poeira e fui no Clóvis buscar o almoço

Voltei, tomei um banho. E quando fui passar creme no rosto, senti minha mão arder pra dedéu. 
Quando olhei meu dedo indicador da mão direita, mão essa que eu quase não uso, por que sou canhota. tinha um p$%¨%&¨de um corte. Mega ultra gigante, super profundo, quase chegando nas tripas. Tive um começo de hemorragia, mas nem deu tempo de ligar pro SAMU, desmaiei antes. 
Tá, é mentira!!!  HAHA! Ficaram apreensivos né? 
Mas cortei mesmo o dedo, e tô ferrada por isso, mexo com acetona diariamente, all time. E acetona em dodói faz o quê? Arrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrde muleque, ardeeee bagaaaarai. 
Fiz um curativo supeeeeer-maxi-mega-massa, estilo escoteiros. Sacolé? Algodão+micropore. Rá!

Ps: Eu e Nino passamos bem nesse momento, ele teve ferimentos leves, apesar do grande impacto. 
Meu dedo está duro, ruim pra digitar e o curativo cobre o efeito magnifico das minhas unhas roxas com bolinhas amarelas.

Dedo ainda sem o corte, momentos antes.
Violeta + francezinha e bolinhas Amarelo Pop Art.
Ambos da coleção Aquarela Tropical, Única Camada da Colorama.

sábado, 15 de janeiro de 2011

Todos por Mari.

"Se Deus quiser me levar, ele não precisa de câncer. Se ele não quiser que eu vá, não há câncer que me leve. E tudo indica que Deus não quer me levar.”   

Ex- Vice Presidente do Brasil, José Alencar em entrevista á Veja.

 

Oi amores, vim falar hoje, da Mari. 
Mariana Cuervo Eidt tem LLA** e precisa demais da ajuda de quem puder e quiser, basta cadastrar a sua medula.. 
É hiper fácil. 
No meu caso, fui a uma unidade móvel de doação de sangue aqui na minha cidade, doei uma bolsa e pedi que tirassem uma amostra para os Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea.São só mais 5 ml de sangue. 
A picada é doloridinha porque a agulha é mais grossa, fora isso, tudo azul.
Ainda ganhei um super sanduba, um toddynho e um bombom para repor as energias. HAHA!

Você pode ajudar também, é só ir ao Hemocentro da sua cidade e doar. Sua medula fica cadastrada atééééé encontrarem um receptor compátivel, ou até que você desista e peça para tirarem teu nome do cadastro. 

Se você decidir doar, basta  ter entre 18 e 55 anos, boa saúde e nenhuma doença infecciosa ou incapacitante.

DOAÇÃO: A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.

Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.

                                           **


Leucemia linfóide aguda (ou LLA), também conhecida como leucemia linfoblástica aguda, é um câncerleucócitos) do sangue caracterizada pela produção maligna de linfócitos imaturos (linfoblastos) na medula óssea. das células brancas (
A LLA pode atingir tanto adultos como crianças. É o câncer infantil mais freqüente,[1] apresentando um pico de incidência entre os 2 e 5 anos de idade. [2] A incidência volta a aumentar após os 60 anos.
Trata-se de uma doença rapidamente progressiva, que necessita de urgência no tratamento

 O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue

 

Mais fotos da Maria aqui no FACEBOOK e o TWITTER com informações em tempo real. 



Beijo, doeeeeeem!!!


Fui.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Chuva de tristeza...

Á todos aqueles que tiveram as suas casas, corações e vidas, levados pela chuva no Rio de Janeiro.
O meu mais sincero pezar... 





terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Moderação Ativada

UP DATE: Passando rapidão, pra explicar que voltei a moderar comentários.

O mundo é democrático, todos temos liberdade de expressão e blá blá blá.

Antes pensava na moderação de comentários como forma de censura, mas agora, vejo que é um mau necessário.

Não tô com paciência de ficar respondendo comentarios desagradáveis, que insultam as pessoas que amo.

Acredito que esses sejam bons motivos.

Não coloquei confirmação, então é rapidinho, do mesmo jeito, só não vai aparecer na hora, tá??

Eu continuo amando vocês, menos os bocas sujas. :D 

Fui.

Long wait

Despretensiosamente, o nosso respeito, o nosso carinho, o amor e saudade vão aumentando...

Dia após dia...

O seu post poderia ser muitoooo maior.

Maaas, quero deixar para aquele outro post, sabe? AQUELEEEE? O grandão? Da história toda?
Pois é! Esse mesmo. 

Aguardo ansiosa o seu aval para escrever. Aliás, publicar, pois já está escrito há muitoooo tempo.


Tchu, I miss you, so much. One day after another, and another, and another, I keep loving you and waiting.

Kiss, Call me. UAHUAHUAHAUHAUAHU

sábado, 8 de janeiro de 2011

1º Aninho de Sofia, parte II

Sofia se equilibrando no banquinho

1ª etapa da confecção dos convites de Sofia.

Quase no fim, capinhas prontas. 4 cores e 2 gramaturas. 

Mulher tem manual?

Conversas com os homens nem sempre são muito produtivas, pra nós, é claro. Já para eles, quase sempre é um baaaanho de informação. Veja esse simples exemplo de prosa entre mim e meu amigo SamuER. 

- Tem três coisas que eu acho horrrrrível quando mulher faz.
- Quais?
- Deixar a raiz do cabelo crescer, imensa, fica com cara de Charlize Theron em Monster ou aquelas que tem o cabelo sapecado nas pontas, nem cortam.
- Hã? e aí, o que mais? (eu, bancando a intereeessadíssima nas especificações.)
- Quando passam aquele esmalte que parece que mexeu com gasolina, ou aquele cor de bosta ou pintam a pontinha de branco. E quando usam aquelas calças folós.
Depois de 15 minutos de risos, barriga doendo e pensando, geeeentixxxx, como podêêê existir tamanha ignorância na superfície terrestre?

Aaaaaahhh Samucaaa meu caro, o mundo das mulheres é muiitooo mais complexo do que supõe a vossa vã filosofia. Te digo o porque, já. 

Drew Xexelenta??
A raiz, precipitadamente tida como DESCUIDADA, trata-se de Mechas Californianas. Leva esse nome, pois na Califórnia muitos surfistas passavam parafina nos cabelos, o que deixava as pontas mais claras, dando um efeito mesmo de cabelo praiano e natural. São, propositalmente, desfiadas com um pente fino e clareados esses 'tufinhos' de cabelo que, depois de desembaraçados e hidratados, dão um efeito hipeeer bacana. Sandy, Luciana Gimenes, Daniela Cicareli e Drew Barrymore são algumas adeptas dessa moda.





   
Sapecadas por R$300,00
Já as SAPECADAS nas pontas, são a nova tendencia do alto verão 2011, um supeeeer hit da moda. 
As mechas Ombré Hair. Essas, já dão um efeito degradê nas pontas do cabelo, deixando a mulher livre do retoque trimestral de raiz, que é o que róla com as Californianas. 








Passei o Jackie da Impala + cobertura matte plus

O esmalte da gasolina, é o esmalte fosco, ou efeito Matte, ( disso eu entendo gentem). Também não gosto muito, mas minhas clientes amam. Trata-se de uma cobertura fosca que é aplicada após o esmalte tornando-o sem brilho. 
E esmalte cor de bosta é o Nude, uma tendência de 2010 que não deve vir tão forte em 2011.







Branco + renda = francesinha

A pontinha pintada de branco, é a velha e boa Francesinha, cláááássica no mundo inteiro, super queridinha das MOLERESSSS. 






 
E por fim, a calça foló. Saruel é o nome dela. Usada preferencialmente por magras/gostosas/cretinas, a Saruel tem um gancho beeeem mais baixo que as calças normais e as pernas mais sequinhas, dando um efeito mesmo de calça 'foló' haha!. Confesso que não curto muito, mas vejo até uns looks bacanudos, super bem produzidos. Na tv, é claro. 







Meeeeninos, meus amores, gooogleeeem pelo amor de Deus, algumas informações antes de tirarem quaisquer conclusões precipitadas a respeito de uma girl okay?? Você pode achar OUT, uma coisa que tá supeeer IN.
Pode achar aquela minazinha supeeer xexelenta, enquanto no mundo dos Beautéééés ela tá abafandô!.



Fica supeeer a dica, estudem tolinhos, aprimorem-se. É sempre bom surpreender, né?

Amo ocêis.
Fui.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Voar, voar, subir, subir...

Em 2004 meus pais se separam, já contei isso.

Cheguei em Maringá sem conhecer ninguém, além das minhas primas.

Ir para a escola era um saco, todo mundo tirava sarro do meu estado, da minha região e da Amazônia.
Me chamavam de Índia e faziam piadas do tipo: "lá pega celular?"
"tem supermercado? shopping?"

Sofria de verdade.
Pra ajudar tinha o método de ensino totalmente oposto ao de Nova Brasilândia e o frio de matar que não me deixava sair da cama.

Fui protelando todos os dias pra aula, chorava, gritava, era um terror.
Tanto que, no meio de 2005, voltei só pra estudar em RO, tamanha era a falta de adaptação á escola, cidade e amigos.

Quando vim pra Maringá outra vez, já estava mais habituada, ano começando novinho, amigos novos, professores novos, tudo novo.
Bem mais fácil.

Foi nesse ano, que conheci o Rafael, pra mim, Rafa. O Rafa era candidato a presidência do Grêmio Estudantil Tomaz Edison De Andrade Vieira, o nome da escola. Era engajado, empenhado e muito inteligente.
Estudava a 8º ou 1º se não me engano, não era da minha classe, mas passava lá fazendo campanha.
Eu, com essa minha espontaneidade de hipopótamo e delicadeza de barata, cheguei chegando e disse: - Posso ser sua amiga? a gente combina.

Ele não deve se lembrar, mas, foi exatamente assim que aconteceu.
Passamos então, o resto do ano sendo amigos.
Eu era um verdadeiro moleque, formávamos uma gangue no bairro. haha!
Pra todo lado aquela galera.
Fazíamos festas, jogávamos volei, fazíamos gincanas na escola e até dormíamos todos juntos aqui em casa.

Ele tinha um montão de espinhas no rosto e a língua presa, o que eu achava super engraçado e ao mesmo tempo charmoso.
Mas o Rafa nunca suportou as espinhas, haha.

Eu sai da escola e continuamos amigos.
Ele mora num bairro que fica atrás do meu, o ponto de ônibus que ele desce faz frente á minha casa.
Durante muito tempo, nos falávamos com frequência, mas depois, começamos a trabalhar e encarar a vida de adulto.

Nunca deixei de pensar em Rafa e no que ele estaria aprontando, até que uma vez o vi no ônibus, muito bem vestido, de terno e gravata.

Nos abraçamos longamente e fomos durante todo o percurso, conversando animadissimos do tipo - E aí Rafa, o que tem feito da vida?

Ele estava trabalhando em um Hotel e fazendo um curso de Comissário de Bordo. Também estava tomando remédios para as espinhas. HAHA'.

Foi uma longa e curta conversa ao mesmo tempo, tinha muito mais coisas pra perguntar e falar. Nos abraçamos novamente e eu disse.
- Ei Rafa, quando você sai do trabalho?
- Meia noite, chego no Borba.
- Passa lá em casa.
- Tá, eu passo.


Da janela do meu quarto, consigo enxergar quem desce do onibus.
Esperei até 1 da manhã e nada dele aparecer.

Uns 4 dias depois, tava deitada já, pronta pra dormir, quando escuto.
- Anaaaaaa
Olhei pela janela, e lá estava, Rafa, chegando do trabalho..

Sentamos no degrau da escada e conversamos por horaaaas.

Ali, naquele dia, ficou estabelecido que, acreditaríamos piamente um no outro e arranjaríamos logo, uma maneira de ficar ricos e dominar o mundo.
De verdade gente, pensamos em mil maneiras de botar esse plano em prática.

Vários outros dias vieram, passávamos madrugadas bolando planos mirabolantes para aparecer na Forbes.
Treinando o Inglês, feito retardados. Conversávamos muitoooo. rá!
Rafa já com 20 e poucos anos, terminou o curso de Comissário e começou a mandar currículos incansavelmente para as Linhas Aéreas. Mas nunca obteve resposta.

Saiu do Hotel e tava meio sem rumo, perdeu o pai, a mãe era massagista e a irmã animadora de festas infantis.

Nunca vi ele reclamar de nada, muito pelo contrário, sempre sorrindo, brincando e me fazendo rir também.


No ultimo dia 30, Rafa veio aqui em casa.

Disse: - Vim me despedir, dar tchau pra você que tanto acreditou em mim.
- Como assim Rafa? vai pra onde?
- Pra São Paulo.
- Mas porque, sua mãe vai? o que aconteceu?
- Recebi um e-mail da TAM, começo o treinamento no dia 03.
- I DONT BEEEELIEEEEVEEEEE!!!! JURAAA?
- Juro.
- Eu nunca duvidei de você Rafa, sempre soube que iria conseguir.
- Eu sei, por isso vim me despedir de você. Por ter acreditado e torcido por mim.


Rafa, viu só? Todo o esforço valeu a pena. Tá lá, você vai voar como sempre sonhou.

E na melhor. É a sua hora de brilhar, a sua vez.
Você é merecedor de tudo e mais um pouco. 


Um beijo bem grande, meus parabéns, eu te amo.

Será?

Preciso da aprovação de Rafa, antes de postar o texto.

Ansiosa.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Maderada de ano novo.













Movie

Alguns vídeos bacanudos da minha familia.

Um que eu e a Claudinha fizemos para relembrar os momentos de 2010.
Outro que Carol fez para homenagear a familia.

E um gravado no dia do Reveillon, com meu tio Alexandre falando..

Todos bem lindos e emocionantes, vale a pena.



sábado, 1 de janeiro de 2011

Prévia

Genteeee, tenho tanta coisa pra contar pra vocês. Aconteceu tanta coisa boa nos últimos dias.

Vou postar as fotos do ano novo, contar a história de persistência de um grande amigo meu e claro, os bafõessss da festa de Reveillon.

Por enquanto estamos aqui na casa da Tia Mara, vendo Dilma na Tv e jogando Perfil 4.


Feliz 2011 pra vocês, a gente vai arraaaazaaar daqui pra frente, boto fé.

Beijocas, eu os amo.

2011