quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Xiiiiii

Coração Zicado...

Nada adianta agora, nem escrever eu acho...

De qualquer forma, foi tudo o que eu esperava que fosse, só não acabou bem.
Aliás, eu nem sei se tinha começado nada... 
Eu sempre mergulho de cabeça, quero que seja pra sempre, maaas são dois corações, duas cabeças.
Enfim...
15X30 no meu coração você tem. Dá pra construir uma edicula já. HAHA!


Beijo tchu, se cuida.


Ao som de: O anjo mais velho - O Teatro Mágico.





 

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Pérolas de fim de ano..

Festa, festa e mais festa. O fim de ano chega com tudo e a gente tem que ficas mais arrumadinho para receber os parentes que vem láááá do Sertão para o Natal e Reveillon. Arrumadinho inclui, infelizmente, comprar roupa nova, roupa decente eu digo. 

Eu não sou a pessoa mais paciente do mundo, mas exercito e muito, essa técnica. 
Decidi então, que iria em busca de um vestido para o natal e outro para o ano novo. 

Em toda loja que entrava, já dizia logo, para evitar constrangimentos futuros.

- Tem roupa pra gordo??

Vocês podem imaginar cada ABSURDO que eu ouvia né?

- Você não é gorda MENINAAAA, você é gostosa.
- Gorda? Onde? Cadê?
- Aiii, você só tá um POUQUINHO fora peso. 
 

É bem provável que houvesse um luminoso neon na minha testa, piscando em letras garrafais. "Otária, otária, otária". 

Disse pra vendedora, numa lapada só, tudo o que eu 'não' queria.
Nada de alcinha, nada curto demais, nem longo demais, nem mostrando as costas, nem com decote grande, nem colorido demais, nem preto, nem com paetê, nem com bordado e nada de vestidos justos. 

Peneirando dessa forma, sobraram os vestidos, basicamente, de senhoras. HAHA!
Não me senti muito à vontade parecendo minha avó, então resolvi partir para a Renner.

Loja com outro formato, feito supermercado, você escolhe, olha, decide, prova e só troca ideia com alguém, na hora de pagar. Sem contar os precinhos supeeeer little. HAHA!

Sem brincadeira, levei 4 horas percorrendo a loja toda, olhando um por um, provei uns 25 vestidos... 
Tive paciência, pensei nos acessórios que usaria, no sapato, no cabelo, enfim, montei um look na minha cabeça. 

Eis que consegui para o Natal, um bem simples, listradinho de azul com vermelho, super verãozinho fat! HAHA!
Pro ano novo, um desses da moda, com lacinho atrás.

No final de tudo, foi bem mais barato e menos doloroso. E ainda diverti algumas pessoas que estavam nos outros provadores da loja. Sai do box que eu estava e disparei.

- Gente, me digam, estou parecendo uma capa de botijão de gás? 

Ouvi altas gargalhadas e frases de apoio como: "Aiiii menina, tá lindo, ficou um luxo."
"Eu também sou gordinha, ficou lindo em você, tem outro desse?"


 Se ficou bonito ou não, só vou saber mesmo, na sexta

Beijocas. 

Preparativos para o primeiro ano de Sofia.

Ler é uma diversão e escrever, um vicio...

Hoje, foi dia de sessão de fotos com Sofia, para o aniversário de 1 aninho.

Fizemos fotos para a capa do convite que eu bolei.

Vai ser um bloquinho de anotações bem charmosinho. 

Na capa, a foto dela bem colorida e sorridente.
Ela sorri com o olhos é impressionante e contagiante ao mesmo tempo.

Optamos por 50 páginas, um bloquinho curtinho, mas feito com muito amor e carinho, pra comemorar a benção que é ter Sofia em nossas vidas. 

Quando estiver pronto, eu vou postar aqui as fotos. 

Semana que vem vamos comprar o resto dos materiais.

Folhas coloridas, laços, fitas, tesouras, papéis, cola e um montão de outras coisinhas que eu amo. HAHA!

Criançafeliz.com. UHSAUAHUAHUAHA 

Eu juro que mostro o resultado final. 

Amo vocês.

Pai, saudade demais, demais. PARA DE ANDAR DE MOTO. Rã!

Lé com Cré.

Ainda me surpreendo como Deus pode ser tão perfeito.
Um mundo de possibilidades existe para que tudo dê errado, mas Ele, na sua  infinita graça, não me deixa sofrer.
Me dá opções de escolha, magnificas opções eu diria. 

Com o passar dos anos, amadureço cada vez mais dentro de mim, a ideia de que, aconteça o que acontecer, Ele jamais me deixará na mão.

É isso, a bola é Dele, tá com Ele, não vou mais me preocupar.
Seja o que Ele quiser, venha o que vier. 

Equanto isso...

UP DATE: Dia cheio hoje, fui ao xópis comprar o presente do meu
amigão secreto, aproveitei super, para comprar um vestido bafôn para o ano novo, verde água com azul, umas bijoux maraaaaa e uma flor para colocar no cabelo. Passei no mercado e comprei um talharim, queijo e requeijão para fazer um macarrão cremoso que vi na minha culéga Ana Maria Braga. Maaaaaaaaaaaaaas, perdi a parte que dizia para não colocar sal, porque o queijo já é salgado, o requeijão também, a manteiga também e o caldo de galinha que vai no molho. HAHA!

Resumindo, ficou salgado bagaaaarai, incomível**.  Bebemos só a coca.Fazêoqueê!
Como tudo na vida tem seu lado positivo, economizei uma centena de calorias. 

Na próxima, além de ver a receita na integra, vou provar antes, também. 66'

O ano novo promete. 
Estamos providenciando uma mesa de frios luxuosa, um barzinho pros drinks, balões, luzes, dj, cama elástica e lógico, o vídeo da retrospectiva familiar de 2010. 

Quero tudo muito azul, positividade, muita, muita, all time.

Gentens, beijocas, preciso ir.  Estamos, eu e Claudinha (hermana), fabricando o vídeo da retrospectiva. 
Tá ficando roots.


Amo vocês.


Ps: O único stress do dia, ficou por conta da atendente da Oi, que não sabia que PROCON significava Zica.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Familia ê, familia a, familia!

Primas lindas, Yasmin e Julia, nerdiando comigo no domingão. 

Amo demais.


Fim de ano promete. 



terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Live longer.

Hoje, depois do trabalho, estava esperando o ônibus para voltar pra casa e perto de mim, duas crianças estavam com a mãe, também esperando.

Um deles tinha nas mãos, um pacote de bolacha Passatempo, sabe? aquela com bichinhos desenhados e recheio gostoso de chocolate? Pois então. O menininho, que deveria ter no máximo 7 anos, abria uma por uma das bolachas e comia só o recheio. Lambia as duas partes e depois as guardava de volta no pacote.

Quando acabaram as bolachas, ele gentilmente virou-se para o irmão e disse: Pode comer.
O outro menininho, que tinha uns 4 ou 5 anos, pegou o pacote e comeu as bolachas sem o recheio e nem se quer reclamou de tal falta. 

Achei muito lindo... Um gosta do recheio e o outro não. 

Na nossa vida é assim, vai ter sempre alguém que vai gostar do recheio e outro  que o despensa. 

A gente sempre vai encontrar quem goste de arroz com feijão ou só do arroz, só do feijão ou nenhum.

Tá aí o bacana da coisa, a excentricidade de ser gente. De usar moletom no calor, ou shortinho curto no frio.
Ter tatuagens e cabelo azul, dreadsloks ou cabelo militar. 
Querer fazer o que quiser... Isso sempre vai afetar alguém.
Vai ter sempre o que acha normal e o que acha um absurdo. 

É clichê, eu sei. Mas qual seria a graça, se todos fossemos certinhos, metódicos e cotidianos?

Eu sou diferente, é fato. Porque? Explico. 

Não vou na ideia das pessoas, minhas convicções e opiniões eu não mudo.
Eu gosto das musicas que eu quero e tô cagando pra quem se define num estilo musical só.
Eu danço funk, sertanejo, ouço blues e leio Kafka. Eu gosto de todos os gostos, eu quero provar tudo.
Gosto da chuva, da lama, de abraçar, de dar conselhos e de sinceridade.

As pessoas que se sabem decor, são as mais chatas. Sabem sempre quem são. Elas não tem momentos, épocas, nem nada que foi especial.
Tudo na vida delas é o mesmo, sempre.
É simples identificá-las. 

Elas sempre respondem as perguntas da mesma forma, usam sempre as mesmas roupas, o mesmo corte de cabelo e o mesmo medo de arriscar. São previsíveis, super fáceis de presentear e não surpreendem ninguém. São, basicamente, pessoas rasas. 

Eu quero ser infinito, correr até as pernas arderem, sentar no chão por 10 minutos e depois correr mais um montão... 
Olho pra lua e imagino como deve ser foda poder pisar lá. 
Eu provo novos sorvetes, um novo restaurante ou uma nova moda. 
Meus cabelos já foram curtos, tipo joãozinho, médios, loiros demais, pretos demais, mecha demais. Tive até cabelo pink. Fiz tatuagens quando achei que deveria fazer, a primeira aos 12 anos. 
Queria que meus pais e minha irmã soubessem, que os levava comigo pra onde quer que eu fosse.
Furei piercing no nariz por modinha e quando saquei que o lance era esse, inconformada por ter cedido ao que todos achavam que era bacana, tirei. Já usei calça larga, mostrando a calcinha, all star e tererê no cabelo. Patinei, pulei tábua, ralei o joelho, a barriga, a cara e um monte de outras partes. Levei picada de abelha, cai do cavalo, de moto, capotei de carro, quase bati numa vaca também. Já acelerei até onde o acelerador não ia mais. 

Quis ser feliz o tempo todo e o preço que custasse eu pagaria. 
Sem pensar, já dei cavalinho de pau com meus amigos pra adrenalina subir.
Já pulei de uma ponte e empinei de moto.

Cuidei do meu primo pra eternizar o nosso amor. 
Já trabalhei em mil coisas.
Limpei casa, fiz carnê de IPTU, saquinho de suco, fui atendente de call center, trabalhei numa faculdade, num posto de gasolina, depiladora e manicure. 

Gosto de tudo que envolve as mãos. Amo mãos bonitas. 
Faço elogio a pessoas que não conheço. 

Aliás, minha sinceridade é algo latente no meu caráter. Falo e falo MESMO!

Outro dia vi uma moça que iluminava o ambiente de tão bonita e disse.

- Parabéns viu, você é tão bonita que chega dá uma agunia na gente. HAHA!

Se vejo alguém chorando, pergunto se posso ajudar, sempre. 

Acho que faço ás pessoas, exatamente o que gostaria que fizessem á mim. 
Não sou um exemplo a ser seguido, longe disso. 
Mas o mundo é diferente, são milhões de pessoas EXATAMENTE e DELICIOSAMENTE diferente umas das outras. 

Aproveite as diferenças, prove, sinta, comemore...Repense, sei lá, faça o que quiser. HAHA!

Beijo gentemS. 

Amo vocês.


Gleise, sua linda. Saudadeeeee.
Pai, te amo.
Vs. Esse post é seu.


Ps: Pai e mãe, eu sei que pra vocês, algumas coisas nesses posts são revelações.

Capotei com o Betinho, Julio, Tamires e Paulista de Toyota, vindo lá da 48, depois de um forró.
Quase bati numa vaca de L200 com o Guilherme, Tinega e Mayara, indo pra Rolim de Moura. 
Empinei com o Delvane na cavalgada de Santana em 2004. 
Acelerei a CB500 do Richardson do Banco em 2004. 
E dei cavalinho de pau com o Lú, no Rolim Chopp, em 2005. 

Pensem pelo lado positivo, eu estou viva, isso é ótimo, já passou eu amo vocês. Tchau.

domingo, 19 de dezembro de 2010

É disso que eu tô falando.

 Finalmente descolei um terreninho pra construir meu puxadinho.


Gleise Horn diz:
Anita linda!!

Vc tem um p.s e um terreno nobre de 15x30 no meu coração, huahuahuahua, obrigada pelo carinho de sempre!
Beijos gigantescos...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O que eu quero no natal?

Amor de amigo é o melhor.
Sinto falta dos velhos e bons. Alguns estão me deixando... 
Eu queria um natal de mesa cheia, cheia de amigos, bom papo...Lembranças, risadas.
Amor de amigo não acaba, do amigo de verdade, não. 
Amigo te liga ás 2 da manhã, você morto de sono o ouve do inicio ao fim, repetindo que "vai ficar tudo bem".
Passa um tempo e vocês riem demoradamente e deliciosamente de tudo. 
Mas, se preciso for, você atravessa o mundo inteiro pra ajudar. 
Amigo de verdade não se compra.
Amigo de verdade conhece a tua casa, a tua familia e principalmente, você.
Amigo te sabe pelo olhar.
Te decora.
Sabe da tua comida preferida e da cor que você menos gosta.
Sabe que aquele menino te arranca o ar.
E sabe que aquela menina tu acha uma piriguéte.
Os meus amigos aturam o meu humor, seja ele qual for.
As minhas piadas sem nexo e o meu jeito de falar alto.
Os meus amigos sabem que eu não SU-POR-TO que judiem de animais perto de mim.
Eu quero meus amigos mais perto, dentro da minha casa, na minha calçada ou no meio fio.
Tomando banho de mangueira no calor, ou dividindo a coberta no frio.
Comendo pipoca pra matar uma fome superficial e me ajudando a montar a mesa pra um jantar especial.
Eu queria amigos nesse natal, muitos, aliás, TODOS. 
Os meus de lá, os de cá e todos os outros que quiserem se amontoar...
Em cima de mim, do meu lado, fazendo cócegas ou rindo engraçado.
Me pedindo pra imitar a Carla Perez e o Lambada só pra dar risada.
Eu quero a minha Denise, a minha Mayara a minha Anelise..
O meu Vinicius o meu Henrique e o meu Arthur.
Andressa pra acalmar meu coração e Gleise para tomar um chimarrão.
Quero as festas esquisitas regadas a suor ou Calypso, não sei o que é pior. 
Eu só quero companhia, pra essa vida vazia ficar cheia, completa, preenchida e redundante, de tão boa.
Eu quero amigos, aqueles da musica do Roberto, um milhão, um zilhão, infinito de amigos.
Amigo é ouro e eu sinceramente, ando bem pobre.

Sorte da Chiquinha ter o Chavez, porque o meu ouro está longe... 
Lapidado, mas longe.
É meu, ninguém tasca, eu conquistei, mas ainda assim, está longe.

Amigos queridos, eu os amo e, sem sombra de duvidas, sou pior e mais fraca sem vocês por perto.
Quem tem amigos tem tudo. É um amor que não passa e sem medidas.

Um beijo, saudade.
O amor envelhece, o amor cria rugas, o amor dorme..

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Vai entender...

Sabe quando você gosta de uma pessoa, aí essa pessoa não corresponde, você  espera, espera e espera. Aí  cansa, parte pra outra, tá feliz, de bem com a vida, realizada...
Do nada o cara BROTA, como se fosse um pé de feijão no algodãozinho, dentro do copinho que a professora dava pra gente na escola e te diz: " te admiro mais que tudo nessa vida , sinto em vc a melhor companhia do mundo .....ainda te amo !

Ai eu penso, demorou tanto tempo assim pra perceber???

Jesus amado...voticontá Brasil, né fácil não, viu??

Pequeno desabafo, porque eu tô P. da vida. 

Não é uma questão de escolha, obviamente que não. Mas eu precisava no mínimo, que vocês me ajudassem a entender a capacidade do ser humano de esnobar você na segunda e na terça simplesmente te amar loucamente. 

Mas como diz o sábio Xandy: "humanos..."

domingo, 12 de dezembro de 2010

Outro beijinho.

Sem câmera, porque o ladrão roubou, só me restou a webcam zuada do laptop da minha irmã.

Pra vocês verem o pózinho da gaitinha que eu fiquei depois desse domingão de calor minha gente do BRASIL!!!
UAHSUAHSUAHSUAHSUASHUASH

BEIJO, AMO VOCÊS.

Domingãããão!

Quando as coisas tem que acontecer, elas simplesmente acontecem. 


Hoje, depois de receber todos os meus amigos/colegas de trabalho em casa, para a confraternização de fim de ano. Muita comida, muitaaas gostosuras, crianças brincando na piscina. O sol magnifico num céu azul sem fim.
Todo mundo ganhou presente, ficou feliz e saiu satisfeito. 
Me ajudaram a arrumar a bagunça e eu estou realizada. Acredito que os recebi da melhor forma possível.


Minha casa é simples e fica em um bairro muito bonito de Maringá, super arborizado, o que ajudou bastante, porque tava muitooooo quente. Colocamos a mesa aqui na frente, onde tem 3 Tipuanas imensas e floridas. 
A sombra estava hiper convidativa, espalhamos mantas pela grama e depois de almoçar, trocamos os presentes do amigo secreto.


Eu estou muito feliz, porque, apesar de 2010 não ter me dado muitas surpresas boas, o final dele está compensando DEMAIS. Em letras garrafais para que possam enfatizar mesmo quando lerem.


Eu ganhei de presente, além de uma sandáááalia linda do Claudemir, um domingo maravilhoso, que me fez ver o quanto sou sortuda por tê-los em minha vida. É com eles e deles que eu rio o dia todo. E, é com eles que eu passo quase 15 horas por dia. Mais tempo do que passo com a minha família.
                                       ----------------------------------------


Amanhã minha avó chega para a segunda etapa do tratamento contra o câncer de mama que a acometeu.
Essa doença é muito ruim e desestruturou toda a família. Mas agora, o pior já passou.
Graças a Deus ela não vai precisar fazer Quimio, mas sim, Radioterapia. O que, no caso dela, é bem menos invasivo.


Estamos na torcida, o fim de ano vai ser como todos os outros. Muita festa, presentes, união, musicaaa e risada. E isso, pra nós da Família Albino de Souza, é só um percalçozinho báááááásico. 


Nada que nos fará desistir de ser feliz.


Vó, eu amo a senhora. Me perdoa por ser a neta mais ausente do Brasil. Mas, do meu modo, no meu canto, do meu jeitinho. Eu só consigo torcer pela senhora. 




Amigos, meus amores, eu os amo.


O meu, o seu e o nosso ano de 2011 vai ser MA-RA-VI-LHO-SO.

Saudade.

E daí é assim, tô cheia de saudade de tanta gente.
Tanta, tanta.

E pra ajudar, aumentou mais um na lista.

Mister VS, I need you so much.


Saudade, saudade, saudade.

Pai, te amo.
Dédo, te amo.
Vó, vô, tio, tia, Guigo, Victor.
Gleise, Dayse, Jamila, Denise, Mayara, Henrique, Bruno, Camila, Vinicius.
Anelise, Andressa, Betinho, Arthur, Niel.
Amo vocês e morro de saudade.

 beijo muito especial pro V.S.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Boas vibrações...

E hoje, os meus bons fluídos, os bons pensamentos, aliás, todos os pensamentos, todos os sentimentos, todos os desejos, anseios...Enfim, tudo! Foi pra você.

Sinta-se bem, não se preocupe comigo, porque eu vou ficar bem também.

Sem!

Existem váááárias definições para uma série de palavras. Mas acho super que, pra uma em especial não há vertente.

Ausência é simplesmente ausência. A falta de, o não ter, ou talvez, o querer ter..
Basicamente significam a mesma coisa.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

FE y Confianza



Não sou de indicar nada aqui no blog, a não ser que valha de fato, a pena.

Apresento-lhes, Jesus Adrián Romero.


Novos amores..

Do meu mais novo autor preferido, Victor Chaves, para vocês, meus amores.


"Como podem mentir sem mesuras
Disseminar conjecturas
Escanear meias figuras
Tornando em fatos mentiras puras?

Como podem alarmar em silêncio
E furtivamente matar o bom-senso
Sem perguntar-me sequer o que penso
E me vendo chorar nem me cedem um lenço?

Eu não vou abrir mão de dizer
Quem me suga haverá de saber
Na seiva do bem o mal há de gemer
E carrapato não sabe correr" 

Se tiveres o coração sensível, lerás e entenderás na primeira.
Caso não tenha, leia outra vez e entenderás também.

  

sábado, 4 de dezembro de 2010

Recordar é viver.

Genteeee, lembra do Eduardo??? Desse post AQUI?.

Encontrei ele hoje, supeeeeeeer lindão e saudável. Ainda de skate, flags e bolinhas.

Eu o reconheci, mas ele não. Pelo visto ele está bem e eu fiquei bem também em vê-lo.

Um belo presente de natal, pois, não sei porque, algo me dizia que eu nunca mais o veria.

Deu uma vontadezinha de perguntar como ele estava, mas, como sempre, de novo e outra vez, cheio de redundâncias, ponderei.

Agora só falta encontrar o seu Zé, desse post  AQUI.

E daí ?

E aí, que uma hora o estopim estoura, não é? 

Faça as coisas certas e ganhará bônus.
Faça as erradas e ganhará má fama.

E, se eu quiser fazer o errado, mas totalmente "nem aí" pro que acham?
Literalmente dando de ombros pra todo mundo?


- Não seja arrogante Paulinha, as pessoas não gostam.
- Não seja irônica Paulinha, as pessoas não gostam.
- Não seja isso, não seja aquilo, não faça isso e aquilo...

Mas e quem me perguntou se eu ligo pro que as pessoas dizem???

As minhas contas, (mesmo que atrasadas) sou (minha mãe e meu pai) que pagamos. 
HAHAHA!!!

Hoje, depois de um longo dia de trabalho, resolvi errôneamente, ligar para uma pessoa e dizer coisas totalmente aleatórias, tentando embromar e esconder de mim mesma, o quanto eu quero e preciso de felicidade.

É sabido que essa pessoa é bem mais calma e centrada do que eu, graças a isso, não se perdeu absolutamente nada do que se havia conquistado. Pelo menos é isso que espero. 

Entrei no msn e a primeira janelinha que pisca é de um querido amigo. Que provou ser fiel.
Me deu os conselhos mais certeiros que podia. 
Agora, depois de tudo, vejo o quanto fui ingenua de tentar abrir mão da MINHA felicidade, para, simplesmente, nem tentar. 

É frustrante pensar em algumas situações que por ventura acontecem do lado de lá e que deveriam acontecer do lado de cá. 

Mas sei que Deus me ama. Vai me proteger e me guiar. 

Pra mim, isso basta. 

Eu preciso de você e quero que saiba que eu não vou desistir. 


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Well want

Exageradamente carregada, cheia, abarrotada de empolgação momentânea.

Ela vem, me inunda, me afoga, me tira os pés do chão.

Lembra, você mencionou a frase "provocou uma reação em cadeia" e eu lembrei dessa música. 

Um dia - Reação em Cadeia.

Estamos longe,
Longe
Muito longe,
Pra tocar o céu

Mais um dia virá
Que nós, dois seremos
Um dia virá
Mais um dia virá
Que nós, dois seremos
Um dia virá

Todos já sabem o que sinto por você
Só você não vê
Basta ouvir sua voz
Para o meu corpo estremecer

Sei que esperando
Eu não vou te convencer
A vir até a minha boca
E ver o que pode acontecer


Estamos longe,
Longe
Muito longe,
Pra tocar o céu

Mais um dia virá
Que nós, dois seremos
Um dia virá
Mais um dia virá
Que nós, dois seremos

Um dia virá
Um dia virá
Um dia dia
Um dia virá

E quando este dia chegar
Iremos tocar o céu com as mãos
E com o coração.


Jay, thanks, even after so long, I still help.Love you for it.I love the nice guy he is.Take care.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

PequeNINO.


Na minha rua passa o ônibus, aliás, aqui chamamos de Circular.
Frente á minha casa, tem um ponto.
Só citei isso, pra poder explicar como meu cachorrinho Nino, chegou até nós.

Pois bem, eu acordava cedo todos os dias e descia pro ponto.
Lá, encontrava várias pessoas, as mesmas, todos os  dias. Mas uma mulher me chamou a atenção especialmente.


Ela trazia todo dia uma cachorrinha com ela, vinha caminhando do ladinho, bem obediente.
Era uma Pincher marrom, bem pequena. Por 4 ou 5 vezes vi e não perguntei nada, mesmo morrendo de vontade. 

Num belo dia reparei que ela estava acima do peso, com uma leve saliência abdominal.
Então, perguntei pra moça que ela seguia: - Ela tá grávida?

E a resposta foi horrorosa: - Ai menina, ta! Affê, tô morrendo de ódio, cachorra biscate.

 
Ahhh, a minha defensora dos animais entrou em ação.

- Quero um filhote, ou todos que nascerem, descolo casa pra todos eles".

Fui pro trabalho e no dia seguinte ela veio falar comigo.
- Ahhh, o meu marido não quer dar não, ele quer vender. (O mundo é dos espertos, num momento odiava o cachorro e seus filhotes, num outro queria ganhar grana em cima).
- E quanto ele quer em cada filhote?
- Trinta reais.
- Tudo bem, mesmo assim eu compro. Afinal não nasceriam mais que 5.
A cachorrinha era de fato, pequena.
E mesmo que nascessem 10, eu arranjaria dono para todos.


Passou um tempo, mudei de horário no trabalho e não encontrei mais a tiazinha.
Num outro belo dia, cheguei em casa e minha mãe disse: - Tem um presente pra você lá no meu quarto.

 
Eu não dei muita importância, tava cansada e deitei no sofá: - Depois eu provo. Achei que fosse roupa ou sapato, sei lá.

Ela insistiu: - Vai logo menina, você vai gostar.

Quando cheguei ao quarto, gritei: - Cadê mãe, não tem nada na cama.

 - Olha no canto, ela disse, - Deve tá escondido. auhauahuahuhauaha

Foi nessa frase que eu já descobri que, ou era um cachorro ou um gato.
Ele estava debaixo de uma toalha que tinha caído, dormindo, todo encolhidinho.


Foi amor à primeira vista, ele era tão pequeno e pretinho.Super frágil.
Olhei pra ele e tinha cara de Nino, porque era pequenino. Chorava como bebezinho de cachorro.
Eu o coloquei próximo ao peito e deitei no sofá. Ele ficou quietinho e dormimos.


Daquele dia em diante, estabelecemos uma parceria sem igual. 


A minha mãe ainda me avisou que a tal moça viria buscar os 30 reais prometidos no outro dia.

E assim ela fez. Perguntei: - Quantos nasceram? - Só um, ela disse.
E eu pensei, Deus é tão máximo que, vendo a ruindade dela,  não deixou que nascessem mais. Só o meu Nino.
Paguei e ela ainda disse a seguinte frase: - Esse cachorro é o capeta, comeu 2 chinelos meus. (bem feito, bem feito) HAHA! 66’


Bom, horrores a parte, eu tinha um motivo bem agradável pra ficar em casa mais tempo.
Fazíamos vídeos dele correndo pela casa, tirávamos foto o tempo todo.
Ele era muito sapeca e esperto. Desconfiávamos desde o inicio que a raça dele não era das mais apuradas e que cresceria um pouco. Mas, como sempre, cresceu além do normal. E de Pincher só tem a cor. É totalmente paraguaio. Ahuahauhauaauhauhauahuahua


Ficamos 9 meses longe e a minha mãe conta que ele me esperava todos os dias na porta. E que, no inicio me procurava e dormia na minha cama, mesmo vazia. Depois se acostumou com a minha ausência. Eu ligava e perguntava primeiro dele, depois da minha irmã e família. Minha mãe fica brava e sempre diz que eu gosto mais de bicho que de gente.

Faz sentido, é um amor totalmente incondicional e sem moeda de troca.

Quando voltei, antes de abraçar minha mãe perguntei: - Mãe, cadê o Nino?
Ela disse para o taxista: - Ta vendo? é isso que uma mãe ganha.Eu  amo minha mãe e ela sabe disso. Mas ele, como não entende em palavras, precisava saber que eu tinha sentido muitooo a falta dele.

Procurei, procurei e nada. Ele andou meio fanfarrão nesse meio tempo, extremamente rebelde e passava noites fora, biscateando e roubando corações.

Entrei, desfiz as malas, tomei banho, deitei no sofá e apaguei. Lá pelas 3 da tarde eu o sinto pulando em cima de mim. Me lambeu, mordeu, pulava, gritava, latia. Ficou tão feliz, que eu chorei.

Porque mesmo abandonando ele por 9 meses, ele não levou em consideração. Simplesmente pagou com lambidas, um amor lindo, recíproco e sem mentiras.

Ele só queria ficar perto de mim. Deitou do meu lado e respirava fundo, como quem dissesse: Que bom que você voltou. E eu pensava o mesmo, que bom que voltei.
Repetia pra ele: A mãe nunca mais vai te abandonar filho, nunca mais, nunca mais.

O Nino é muito companheiro, extremamente feliz e sociável.
A não ser com o carteiro, é uma relação meio conturbada.

Coloquei grades no portão maior, para que ele não saia e seja atropelado como aconteceu com a Dóris e a Isadora. Mas de nada adiantou, ele pula o muro. UHAUAHUAHUAHUAHAUHA
Depois chora para entrar, a gente desce as escadas e abre o  portão. Ele passa direto, rebolando. Acho lindo. Ele tem lances teatrais sensacionais.

Nesse do portão, por exemplo, quando não tem ninguém em casa, ele entra numa boa, da os pulos dele e consegue abrir. Mas quando vê alguma movimentação de alguém em casa, ele chora, chora, chora, até que alguém perde a paciência ou se compadece do olharzinho dele e abre.

Rola um teatro na hora do almoço, janta ou qualquer outra refeição.

Ele gosta do sofá, mas quando a avó dele (my mommy) está em casa, necas de sofá. Ela só olha e ele sabe que tem que descer. Mas mesmo ela estando por perto, quando eu chamo ou dou 2 batidinhas na perna, ele pula pro meu colo.

Nino come tudo, absolutamente tudo, é uma verdadeira DRAGA. Tem um intestino maravilhoso, que por sinal, desde pequeno, só usa lá na grama do quintal.
Se alguém se atrasa para abrir a porta, ele começa a chorar porque está apertado querendo fazer pipi ou totô. 


Outra coisa que me chama a atenção são os sentimentos do Nino. Ele é totalmente sensível. Sabe quando eu tô triste e fica bem mais próximo quando eu choro. Normalmente no meu colo.

Ele é um belo cão de guarda, quem conhece Pincher sabe, e os paraguaios são piores, mais escandalosos ainda. Qualquer movimentação suspeita é uma gritaria sem fim.

Às vezes o vejo uivando, acho lindo, é como a Dama e o Vagabundo. Deve ser um grito de amor.
Eu sou completamente boba de amores por ele. 

Sempre me pego imitando a voz dele como se respondesse as minhas perguntas.

Eu digo: - Quer leite filho?
E ele (eu) responde: Não mãezinha, quelo ração.

UHAUHAUHAUHAUAHAHUAHAUHAUH

É bem besta assim, mas já ouvi relatos parecidos. Aqui em casa todo mundo é acostumado.
Nino, a mamãe te ama.

Seguem vídeos e fotos desse amor...

Boa noite meus amores, eu os amo.


Siga seu coração, sempre.
 







segunda-feira, 29 de novembro de 2010

One more time.

Nem toda água do mar, nem a luz do luar, tem o infinito que tem o seu olhar ...

Wise words

- Eu não acredito em empolgação momentânea.



Nem eu. ;D

Sweetie

Um beijo, cheio de carinho, pra você.

I liked this game...

Alguns minutos, um turbilhão de informações que, somadas ás que eu já possuo, chegam a um denominador comum muito perfeito pro meu gosto. Quase irreal, inexistente... Ou, visto de um outro ângulo, pareça louco, excêntrico e muito particular. 

Sabe, eu gosto do novo, gosto das pessoas inéditas e estranhas. 
E sabe do que mais? Quando tudo parece embaralhado, misturado... é cheio de nós ??
É exatamente nessa hora, que o jogo começa. As cartas precisam ser bem embaralhadas antes, assim, nenhum dos jogadores poderá contestar a legitimidade das cartas que lhes foram dadas.

Alguns vão trapacear, é certo. Mas e daí ? As cartas voltam para o monte, são novamente embaralhadas e distribuídas aos jogadores. É assim, ciclos periódicos de descobrimento... 

E foi assim, presumo, que nos conhecemos.
Num imenso jogo de cartas. E lembra quantos jogadores eram? Nós vencemos. 

O prêmio? Não sei, por enquanto. Mas assim, desse jeito, tá legal. 

Um pedacinho de Renato Russo pra você, com carinho.

 Já não me preocupo se eu não sei por que.
Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê
E eu sei que você sabe, quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você.


Beeeeeeijo. 
Follow your heart.

domingo, 28 de novembro de 2010

Quem mexeu no meu Queijo?

José Luiz Horn é o nome dele, ou talvez seja, ou nem é. HAHA. 

Eu conheço como Queijo, seu apelido. 

Tem cara de queijo emmental, aquele dos filmes de ratinho, cheios de furinhos por onde eles passam.
Queijo alegre, queijo casa, queijo que deixa alguém feliz. Ahh, e como deixa.

Ele tem lindos olhos cor de água, quase transparentes. É alto, elegante, sorridente e com cabelos feito ouro.

Certa vez, a noite tava chata e eu sentada numa lanchonete popular na minha cidade. Só eu, 3 cadeiras e uma porção de asinhas de frango. Eu até as contei, eram 14 ao todo.

Tudo chato, parado e pensamentos a mil. A lanchonete fechando e eu cansando.

Foi quando ele apareceu, tão gentil e arrebatador, com aquele tamanhão* todo, me abraçando e me chamando de Paulinha. Sentou-se, pediu uma cerveja e desencadeamos um papo tão fresquinho...
Ele não se fez de rogado e me ajudou a devorar as asinhas. Achei sensacional aquilo.

Queijo é um partidão na minha cidade, tão querido, tão amigo de meu pai, um menino que toda mãe queria como genro. E eu tinha ali, como amigo, num belo papo de boteco.

Foram mais 2 cervejas e um abraço apertado na hora de ir. Cavalheiro pagou a conta e foi embora.

Depois disso, poucas vezes o vi, de longe ainda. 

Não gente, eu nunca quis namorar/ficar/beijar o Queijo, eu só acho ele demais. E digo isso pra ele. Aliás, já disse. Lá no Bar do Nego, uma vez. "Queijo do céu, você é lindo cara". 

Gleise querida, isso não é um post de agradecimento ao seu, porque não se agradece de uma forma tão simplória, o carinho que dedicou a mim no seu post. 

Eu só queria contar essa história a muito tempo. E aproveitei pra contar agora.

Eu gosto de vocês dois, de você mais, porque somos mais achegadas. HAHA!

Seu irmão é um encanto, transmita o recado a ele.

-----------------------------------------------------------------------------------------
Gente, a Gleise é uma fofa, olha o que ela fez pra mim.

Não são lindos, pessoal?

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Quase sem querer..

Então meus amigos, a situação é a seguinte.
Fim de ano, todo mundo corre pro salão se aprontar para férias, festas e afins.
Meu trabalho dobra, graças a Deus, mais cash pra mim.
Enfim, correria total e quando chego na frente do pc, fico matutando algo bom e produtivo para escrever, aí chega uma amiguinha minha, a preguiça.
E ela se instalaaaaaa minha gente, bem metida, completamente entrona e não me deixa escrever como gostaria.
Pois, se o cérebro pensa, as mãos não digitam e vice-versa.
Sendo assim, escolhi com muito carinho uma linda música para adoçar o fim de semana e os ouvidos de vocês que eu tanto amo.
Eu ouvi na voz de Maria Gadú, mas é originalmente cantada por Renato Russo. Ambas são lindas e suaves. A letra é maravilhosa e sutil.
Espero de coração que gostem e me perdoem pela ausência.
Nino anda febril, me preocupando.
Ás vezes acho que o deixo sozinho demais, ele precisa de mim.

beijo, eu os amo


Quase Sem Querer

Legião Urbana

Composição: Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Renato Rocha
 
Tenho andado distraído,
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso,
Só que agora é diferente:
Estou tão tranqüilo e tão contente.
 
Quantas chances desperdicei,
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém?!...
 
Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia.
Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira,
Mas não sou mais
Tão criança a ponto de saber tudo.
 
Já não me preocupo se eu não sei por que.
Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê
E eu sei que você sabe, quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você.
 
Tão correto e tão bonito;
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos!
Sei que, às vezes, uso
Palavras repetidas,
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?
 
Me disseram que você
Estava chorando
E foi então que eu percebi
Como lhe quero tanto.

Já não me preocupo se eu não sei por que.
Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê
E eu sei que você sabe, quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você.
 

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Aceitando

Um grande amigo me encontrou online outro dia e teceu elogios ao meu trabalho, pois havia ouvido de uma cliente que faço unha muito bem.
E disse: "Você precisa começar a aceitar os elogios". 

Concordei. Há muito tempo, uma outra pessoa falou sobre o meu cabelo e sobre a pele do meu rosto e eu não gostei muito. Não consigo lidar com um elogio sincero. Acho que, os que ouvi sempre vieram de forma irônica ou sarcástica, que fiquei com essa ideia de sarro toda vez que alguém diz que eu sou boa em algo ou bonita.

Também li num livro que, o bonito para um, pode não ser para o outro.

E, eu sou gordinha, mas uma gordinha bonita, certamente. 

Aceitar isso é sensacional. 

Adorei.

Beijos.


Gleise, estou amando a sua frequencias nos posts. Parabéns. 

Pai, I miss you.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Um bom filho, á casa, torna.

É, eu sumi, sei disso. Mas foi por uma boa causa. Aliás, várias.

Estou trabalhando demais, demais mesmo. Mas nada de escravidão. Sirvo por que gosto, fico porque quero, faço porque acho que devo fazer. 

Lá, o clima é bom, as pessoas são sensatas e realistas. As coisas estão indo bem.
Estamos passando por uma reforma, que anda nos unindo cada vez mais.

As personalidades se misturam e é essa homogeneidade que está me fascinando. 

Minha mãe pede que eu vá com calma, pondere e não tenha tantas expectativas, para que não sofra no futuro.
Mas, como sempre eu, esse turbilhão de sentimentos, deixo-me levar pelas pessoas e o que elas demonstram ser. 

Percebi que, se recebo o melhor delas, eu dou o melhor de mim, de uma forma natural.

Espero que continue assim.

Boas vibrações á todos, amo vocês. 

;**
e dai a felicidade diz assim: Olha, eu vou ali e já volto.  

Ela é turista, é sempre hospede, nunca fica, nunca cria raízes.


Preciso ser cada vez mais receptiva, tratá-la bem, para que ela fique o máximo que puder.



Será sempre bem vinda.





Bye.

sábado, 6 de novembro de 2010

Recompensa.

" eu estava triste e desanimada. mas me animei logo no salão, conheci uma figura. A moça que fez minha unha é a animação em pessoa, determinada e feliz. Transbordando bom humor e boas energias. Ana o nome da figura"


Twitter de uma cliente.


Tô feliz.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Família.

E hoje, diante de tanta tristeza, tive a maior prova de união, força e determinação da minha família.


Vó Hilda, nós amamos você. Demais.

Unidos sempre, sempre e sempre.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Simpatia.

Ser simpático nunca é demais. Você nunca terá uma cara feia como resposta.
Há quem ache que ser simpático o tempo todo é falsidade, mas eu gosto.

Recebi um elogio hoje de uma pessoa, que falou pra outra pessoa que eu sou a simpatia em pessoa.
HAHA!

Minha mãe não acha. rs.


Hoje almocei no Mc e comprei o Dino, cachorrinho dos Flintstones,  pro Nino.
Acho que foi o melhor presente que eu poderia pensar em dar pra ele.
Nunca vi tanta felicidade...

Acertei.


Maria Gadú aqui em Maringá dia 06/12 - Ansiosa.
Beijo, amo vocês.